Surtos de febre amarela no Brasil

Em dezembro de 2016, todo o Brasil entrou em situação de preocupação com a saúde por causa de uma epidemia de febre amarela que assolou várias regiões do país. De lá para cá, houve diversas suspeitas de casos e muitas mortes que geraram transtorno para toda a população e levantaram uma campanha de nível por parte do Ministério da Saúde.

Até o último dia 27 de abril, foram notificadas cerca de 400 mortes por causa da doença, com o número de infecções chegando ao número acima de 700 e mais de 1,5 mil casos foram descartados pelos órgãos de medicina espalhados por todo o Brasil.

Até então, o surto está sendo caracterizado como de perfil silvestre pelo governo brasileiro. As maiores incidências estão em locais próximos das regiões urbanas de São Paulo e Rio de Janeiro.

Isso significa que os mosquitos de áreas de cidade, como o Aedes aegypti, não estão relacionados com essa doença. Os especialistas consideram que as infecções acontecem por causa de agentes como os mosquitos Haemagogus e Sabethes, com acontecimentos assíduos também nas áreas de Minas Gerais e também Espírito Santo.

Na tentativa de combate, o governo brasileiro busca a vacina como alternativa para vencer essa epidemia. Dados do Ministério de Saúde confirmam que cerca de 23 milhões de vacinas foram distribuídas nas regiões consideradas de risco para a disseminação da moléstia.

Conheça um pouco mais sobre essa doença:

  • A febre amarela é causada por um vírus de transmissão feita por mosquitos, nas formas urbana ou silvestre;
  • A doença é aguda e hemorrágica com a característica de causar amarelidão no corpo do infectado;
  • Essa febre amarela se classifica como arbovirose e está na mesma família da dengue e Zika vírus.

Os sintomas desta doença incluem:

  • Febre;
  • Dores musculares em todo o corpo, principalmente nas costas;
  • Dor de cabeça;
  • Perda de apetite;
  • Náuseas e vômito;
  • Olhos, face ou língua avermelhada;
  • Fotofobia;
  • Fadiga e fraqueza.

Em casos de suspeita da doença, deve-se ressaltar que é de extrema importância que um médico acompanhe o caso para que a melhor solução para o problema seja aplicada.